Sobre Antiga 2018-08-24T13:29:14+00:00

O Instituto Update é uma associação civil sem fins lucrativos que fomenta a inovação política na América Latina. Partimos do princípio de que os países da região, pelas suas semelhanças culturais e políticas, podem compartilhar práticas e experimentos políticos inovadores que são mais aplicáveis às suas realidades e contextos.

Com o objetivo de fortalecer a democracia na América Latina, desenvolvemos projetos capazes de resgatar a confiança na política e de atualizar as práticas democráticas a partir da visão de renovação política calcada na diversidade e inovação e que contribuam para o resgate da confiança do cidadão na política.
Saiba mais sobre o Update no site: www.institutoupdate.org.br

Histórico

2016-2017

Mapeamento de tendências: 700 iniciativas mapeadas, catalogadas e analisadas.

2016-2018

Emergência Política: Inovação política na América Latina

2018

Toolkit Eleitoral: conjunto de ferramentas e metodologias com o objetivo de democratizar os processos políticos

Emergência Política: Periferias Brasil

2016-2017

Mapeamento de tendências: 700 iniciativas mapeadas, catalogadas e analisadas.

2016-2018

Emergência Política: Inovação política na América Latina

2018

Toolkit Eleitoral: conjunto de ferramentas e metodologias com o objetivo democratizar os processos políticos

Emergência Política: Periferias Brasil

Núcleo de Inteligência Update

O núcleo de inteligência do Update acredita no poder das histórias. E histórias sobre uma nova política são cruciais para superar a crise que estamos vivenciando em toda a região e mundo democrático.

Nossa abordagem consiste em entender e analisar comportamentos políticos emergentes na América Latina a partir de diferentes perspectivas. O objetivo é produzir novos conhecimentos, linguagens, formatos e narrativas acessíveis que contem histórias sobre uma nova política possível e que está acontecendo agora.

Utilizamos uma combinação de metodologias que exploram o comportamento humano com olhar positivo e propositivo sobre as novas maneiras de estar em sociedade no século 21.

A equipe é composta por jovens cientistas políticos, jornalistas, economistas e produtores culturais engajados na inovação política.

Nossa forma de pesquisar se baseia nos
seguintes princípios metodológicos:

Pesquisa
Orgânica

Uma abordagem que incorpora e se vale das descobertas ao longo do percurso, afetando objetivos, roteiros e a própria segmentação.

Esta é uma abordagem que contempla elementos verbais e não verbais, e que entende a pluralidade e as contradições como fundamentos do indivíduo e da sociedade.

Cadeia de Envolvimento e Influência

Pessoas têm níveis distintos de envolvimento e influência em um universo social.

Desta forma, é necessário reconhecer estes níveis individuais e calibrar o valor daquela informação e pontos de vista individual dentro do contexto do estudo.

Transparência e
Informalidade

A profundidade e o engajamento do entrevistado depende de sua percepção sobre o entrevistador, que precisa conhecer e utilizar os códigos e referências do outro para conseguir atingir lugares mais profundos e delicados na conversa.

Entrevistador =
Entrevistado

Nossas pesquisas sempre são realizadas por pessoas que estão sintonizadas nas pautas investigadas, possibilitando um entendimento baseado numa conexão de pares.

Objetivo do Emergência Política

Ao falar em inovação política, logo somos remetidos a  tecnologia ou a uma idéia muito intangível ou vaga do que se trata esse conceito. Analisar e aprofundar com quem está em ação é a maneira que encontramos para dar sentido a esse termo que vem sendo utilizado cada vez mais. Sabendo que a inovação política pode ter muitas dimensões e definições, o Instituto Update está interessado em entender aquelas que estão aproximando o cidadão da política e contribuindo para o amadurecimento da democracia na região.

1. Gerar reconhecimento entre atores do ecossistema

2. Disseminar o conceito,  práticas e comportamentos de inovação política latino-americana

O que não é:

Sobre
Tecnologia

O mapeamento não foi baseado no uso de tecnologias digitais ou disrupção tecnológica como aplicativos e plataformas.

Recorte
Geracional

Embora a inovação seja uma prática da juventude, esse não é o recorte utilizado. Não há comparações intergeracionais.

Pesquisa
Acadêmica

Esta pesquisa não foi realizada em termos e definições acadêmicas e não apresenta resultados quantitativos ou comparativos.

Orientação
Ideológica

Não há bandeira ideológica do ponto de vista partidário, apesar de haver uma crença no campo progressista do pensamento.

Metodologia

A primeira fase desse estudo mapeou 700 iniciativas de práticas políticas emergentes em 20 países da América Latina. A partir do desenvolvimento de uma classificação própria e compreensão dos dados, encontramos 15 tendências que impulsionam a inovação política na região.

Esse primeiro tatear foi fundamental para definir os países, iniciativas e indivíduos entrevistados na pesquisa in loco.

Desk Research

A partir de pesquisas online, com o olhar para as novas práticas e a partir da análise de padrões de repetição, criamos uma taxonomia e classificação que permitisse ver o ecossistema. O conteúdo é dividido em duas categorias principais:

HUBS: são os atores do ecossistema, organizações formais e informais.

SINAIS: são os projetos, ferramentas e ações do ecossistema que atuam em diferentes temas.

Temas: participação cidadã; transparência; controle social; cultura política; mídia independente e governo 2.0.

Identificação de tendências

Por meio da identificação de padrões, encontramos 5 grandes macrotendências:

Protagonismo Cidadão

O cidadão toma para si a responsabilidade de conquistar as mudanças sociais que deseja.

Identidade Estética

Novas linguagens, narrativas e abordagens que aumentam as possibilidades cognitivas dos cidadãos e atores do campo.

Cidadão em Foco

Processos, produtos ou serviços que colocam o cidadão como centro da suas ações.

Transparência 360º

Adoção das práticas de transparência para todos os aspectos da política.

Das Ruas às Urnas

As práticas da sociedade civil são mobilizadas para ocupar a política institucional: novos experimentos eleitorais e novos formatos de organização política.

Seguindo a orientação dos atores, temas e tendências da fase de mapeamento selecionamos os entrevistados e os países que possuíam maior expressão na primeira fase.

Para entender o contexto em que inovação emerge em cada um dos países e conhecer em profundidade as histórias, desafios, visões e sonhos para uma outra política na América Latina, utilizamos metodologias da pesquisa qualitativa como entrevistas em profundidade, vivências e entrevistas com especialistas.

Entrevistas em profundidade

Entrevista de 1,5 horas de duração em um ambiente escolhido pelo entrevistado como aquele que melhor o representa.

São pessoas de áreas de atuação distintas que estão relacionadas à política e desenvolvem os experimentos encontrados no mapeamento. A intenção é entender os perfis de liderança a partir de sua trajetória de engajamento, desafios de inovar na política, visão para o futuro da política para a América Latina.

Entrevistas com especialistas

Entrevistas com especialistas e formadores de opinião (cientistas políticos, sociólogos, economistas, jornalistas) para investigar as dinâmicas da política nacional e os desafios do sistema democrático de cada país.

Essa metodologia tem o objetivo de compreender o contexto sócio-político em que as inovações políticas de cada país emergem e qual tem sido o impacto nas instituições.

Vivências

Etapa de entrevistas caracterizada pela imersão na realidade dos entrevistados. As conversas acontecem nos locais de trabalho e espaços da cidade onde as práticas de inovação política acontecem.

Esse método possibilita descobrir outros elementos que vão além do discurso.