Metodologia 2018-08-24T14:23:51+00:00

Metodologia

A primeira fase desse estudo mapeou 700 iniciativas de práticas políticas emergentes em 20 países da América Latina. A partir do desenvolvimento de uma classificação própria e compreensão dos dados, encontramos 15 tendências que impulsionam a inovação política na região.

Esse primeiro tatear foi fundamental para definir os países, iniciativas e indivíduos entrevistados na pesquisa in loco.

Desk Research

A partir de pesquisas online, com o olhar para as novas práticas e a partir da análise de padrões de repetição, criamos uma taxonomia e classificação que permitisse ver o ecossistema. O conteúdo é dividido em duas categorias principais:

HUBS: são os atores do ecossistema, organizações formais e informais.

SINAIS: são os projetos, ferramentas e ações do ecossistema que atuam em diferentes temas.

Temas: participação cidadã; transparência; controle social; cultura política; mídia independente e governo 2.0.

Identificação de tendências

Por meio da identificação de padrões, encontramos 5 grandes macrotendências:

Protagonismo Cidadão

O cidadão toma para si a responsabilidade de conquistar as mudanças sociais que deseja.

Identidade Estética

Novas linguagens, narrativas e abordagens que aumentam as possibilidades cognitivas dos cidadãos e atores do campo.

Cidadão em Foco

Processos, produtos ou serviços que colocam o cidadão como centro da suas ações.

Transparência 360º

Adoção das práticas de transparência para todos os aspectos da política.

Das Ruas às Urnas

As práticas da sociedade civil são mobilizadas para ocupar a política institucional: novos experimentos eleitorais e novos formatos de organização política.

Seguindo a orientação dos atores, temas e tendências da fase de mapeamento selecionamos os entrevistados e os países que possuíam maior expressão na primeira fase.

Para entender o contexto em que inovação emerge em cada um dos países e conhecer em profundidade as histórias, desafios, visões e sonhos para uma outra política na América Latina, utilizamos metodologias da pesquisa qualitativa como entrevistas em profundidade, vivências e entrevistas com especialistas.

Entrevistas em profundidade

Entrevista de 1,5 horas de duração em um ambiente escolhido pelo entrevistado como aquele que melhor o representa.

São pessoas de áreas de atuação distintas que estão relacionadas à política e desenvolvem os experimentos encontrados no mapeamento. A intenção é entender os perfis de liderança a partir de sua trajetória de engajamento, desafios de inovar na política, visão para o futuro da política para a América Latina.

Entrevistas com especialistas

Entrevistas com especialistas e formadores de opinião (cientistas políticos, sociólogos, economistas, jornalistas) para investigar as dinâmicas da política nacional e os desafios do sistema democrático de cada país.

Essa metodologia tem o objetivo de compreender o contexto sócio-político em que as inovações políticas de cada país emergem e qual tem sido o impacto nas instituições.

Vivências

Etapa de entrevistas caracterizada pela imersão na realidade dos entrevistados. As conversas acontecem nos locais de trabalho e espaços da cidade onde as práticas de inovação política acontecem.

Esse método possibilita descobrir outros elementos que vão além do discurso.